segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

LEONARDO MACHADO DE LACERDA - SAUDADES NOSSO HEROI...


"...Assim como os céus são mais altos do que a terra,
Os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos,
Meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.
(Is 55:8-9)   




Teus propósitos Pai, nem sempre são os nossos anseios.
Tuas veredas não são as nossas veredas.
Não entendemos quais fins justifiquem os meios.
Somos limitados para alcançar as Tuas certezas. 

Em que estrelas moram os nossos sonhos?
Onde fica armazenada a nossa luta incessante
Às vezes gloriosa e muitas vezes inglória?
Sabemos que os nossos filhos pertencem a si mesmos,
E cada um escreverá, se a vida permitir, a sua própria a sua história. 

Quando deixam o calor do nosso ventre,
Fazem morada eterna em nossa mente.
E, mesmo distantes e independentes,
Mais perto estão dos nossos corações,
Das noites em claro povoadas de medos.
Dos joelhos ao chão em aflitivas orações, 

Queremos enxugar seus prantos, educar seus erros.
Mostrar-lhes o mar, o céu, os passarinhos...
Fotografar os seus primeiros passos,
Colar na parede os primeiros rabiscos
E, descobrir em cada semelhança.
Os traços do  papai, da mamãe, dos irmãozinhos...

Respondemos aos intermináveis por quês 
Revistamos as mochilas e os uniformes,
Os livros, os cadernos e cada dever escolar.
Repetimos histórias até adormecerem,
Pedindo aos “anjos” que protejam os seus sonhos
E todos os caminhos por onde irão trilhar. 

Queremos vê-los levantar o suado diploma,
Jogar mais alto o capelo e gritar: Vitória!
Vitória também nossa! Missão cumprida.
Que para nós foi ontem e lampejo de vida. 

Por mais amor que tenhamos por Ti meu Deus,
Não aceitamos a inversão da partida.
Em lágrimas dolorosas aos céus blasfemamos :
- Não queremos guardar medalhas por heroísmo.
Queremos vê-los fortes, felizes, vivos,
Para dizer a cada novo dia o quanto nós os amamos. 

Às vezes conjecturo: Logo eu, que nada sei...
Que ao serem gravadas as “Tábuas da Lei”.
Não sei se Deus, por não ser mãe, se esqueceu, 
Ou  Moisés, ante a sarça com seu ardente brilho,
Não gravou o “XI mandamento que assim seria”:
- Nenhum pai ou mãe viverá para enterrar um filho. 
 
        Rio, 27/01/2013.Jailda Galvão Aires



segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

GRACIELA (duas vezes debutando)

        Guardas o brilho dos teus quinze anos
        Risos e sonhos hoje duplicados.
             A vida realisou, e, foram muitos planos
             Com garra e força por ti conquistados.
             Infindas bênçãos desejamos ainda
             E Deus ouvirá a nossa prece alçada:
             L indos caminho de uma paz infinda
            A filha, mãe e esposa muito amada.
                        Rio, 14.01.2013