quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

EGO



Ego, você não é o meu interior,
Meu ser, o meu infinito.
Não pode separar-me de minha essência
Tornando minha alma demente 

Quero viver o momento presente
Com seu cheiro, seu calor,
Sua brisa, sua forma, sua textura.
Só isto liberta o ser da criatura. 

Quero tatear meus pensamentos
Não quero meu passado
Nem meu futuro distante
Roubando o meu presente. 

O que passou...
Pertence à esfera do tempo
Se o tempo gravou,
Que jogue a chave fora.
O amanhã não me pertence
Só o hoje existe permanente.

Assim liberto o meu viver
Fluidifico as fronteiras
E unifico meu ser com o Grande Ser.
               Jailda Galvão Aires. Rio, 21/01/2014

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

GRACIELA 14/01/2014


                   
                Guarda este momento, minha filha,
                Risonho, belo e de manhãs floridas.
                A vida se abrindo em infinitos planos
                Cheia de rosas suaves, coloridas.
                Instante único, mas que será eterno,
                Estes que agora vives. Só quimeras.
                Leva esta dança pelos salões da vida,
                A eterna valsa das quinze primaveras.