domingo, 4 de janeiro de 2015

EU - POEIRA E ALMA

 Pouco me importa
- Que eu seja poeira cósmica
De estrelas em brasas
-Cinzas policromadas
De algum vulcão extinto.
Ou partículas rochosas
Preservando animais e rosas  

Pouco me importa
- Que eu seja algas mumificadas
De mares remotos
- Ciscos de cristais caindo em neve
De algum arco-íris breve.

 Pouco me importa
- Que eu seja areia branda
Aonde se deitam rios e mares
- Faíscas de meteoros
Ralados pela atmosfera...
- Ou tempestades de pó 
Voando pelos ares. 

Sei que um dia... 
O meu corpo voltará à argila 
Que alimenta a Terra semimorta
Mas o - O meu espírito
- Que me liga ao eterno EU SOU
Voltará ao Hálito do Pai
Que a vida em mim soprou.
Isto me importa.
        Jailda Galvão Aires. Salvador, 08/01/2015